quinta-feira, 31 de dezembro de 2015

As Sufragistas - filme presente

Assisti e recomendo o filme As Sufragistas, da Diretora Sarah Gravon. O drama traz o movimento político das mulheres londrinas no início do séc. XX pelo direito ao voto. O elenco é muito bom, a história é presente, tanto no sentido de "acontece agora", quanto "dádiva", ato recorrente nesta fase em que o ano se encerra.
No sentido de "acontece agora",  o voto foi permitido para as mulheres na Arábia Saudita apenas em 2015, segundo informa o filme ao final; os direitos adquiridos pelas mulheres se mostram frágeis, tanto na Europa, quando a crise econômica provoca que o rebaixamento dos salários desta parcela da população seja mais significativo do que o rebaixamento da remuneração dos homens, quanto no Brasil. onde alguns direitos adquiridos são questionados pela ala Eduardo Cunha no Congresso, como o atendimento hospitalar que inclui a pilula do dia seguinte, no caso de estupro, entre outras questões não menos agressivas ao direito da mulher em definir o que acontece com seu corpo.
No sentido de "dádiva", apresenta um bom filme, dedicado a narrar um processo político coletivo e, de forma muito especial, a trajetória individual do "tornar-se política", por meio da personagem Maud Watts (Carey Mulligan, sensacional), uma mulher que vive as condições sociais/familiares/econômicas/trabalhistas que lhe foram dadas com a mesma ignorância que muitos contemporâneos nossos e que, pelo movimento dos outros (das outras, no caso) passa a perceber, na sua realidade, alguma possibilidade de mudança.
O filme toca de forma violenta às entranhas do pensamento que supõe mais competência aos homens que às mulheres, e, de meu ponto de vista, torna-se imperdível, porque levanta o tema de que, parafraseando Simone de Beauvoir, não nascemos políticas, nos tornamos políticas.
Imperdível, necessário e presente, um alento àqueles que hoje revivem os revolucionários e que se espantam quando a maioria das pessoas comuns, supostamente beneficiados pelas bandeiras erguidas, não lhes acompanham.
Tal qual a história Vitor Hugo, na Paris de 1832, as Sufragistas, retratando uma realidade de século depois, mostra que muitos dos que nós representamos, operários, estudantes e pobres, não se sentem, exceto em momentos muito tênues e mesmo inesperados da história, pareados por nossa representação. Nem por isso podemos parar de lutar, porque depois que você vê a luta, não há como se acomodar.
Ao final do filme, cai bem um "fora Cunha", mesmo que Cunha seja apenas um representante, entre tantos, dos valores que precisamos desconstruir.
Veja aqui mais sobre o filme As Sufragistas
http://www.adorocinema.com/noticias/filmes/noticia-116668/#
Veja aqui a reportagem sobre o Projeto que nos tira direitos:
http://site.adital.com.br/site/noticia.php?lang=PT&cod=87448
E aqui meus sinceros votos para 2016



segunda-feira, 28 de dezembro de 2015

Link para inscrição no Curso "A organização escolar em ciclos"

Super Maraisa organizou o link para a inscrição no Curso "A organização escolar em ciclos", que pode ser realizado sob a forma de Curso de Extensão ou Disciplina Optativa (graduação e pós-graduação). O curso será oferecido no período de férias: do dia 15 ao dia 26 de fevereiro de 2016, das 18h às 21h, na sala de aula do PPGEDU/Unirio.
Link para inscrição:
https://docs.google.com/forms/d/1H3lgpUaZaJxJy4fHbkZrQJgGIyUQRmBKcGkVF1e70qU/viewform

segunda-feira, 21 de dezembro de 2015

A organização escolar em ciclos: Curso de Extensão e Disciplinas Optativas para Graduação e Pós-Graduação



CURSO DE EXTENSÃO: A ORGANIZAÇÃO ESCOLAR EM CICLOS
Ementa: A função social da educação escolar. Processos históricos de políticas educacionais direcionadas para a não-retenção de alunos. Diferentes formas de organização da escolaridade ao longo da história da educação brasileira.  Diferentes formas possíveis de organização da escolaridade e seus referenciais filosófico-teóricos. Políticas institucionais e projetos pedagógicos. As escolhas didáticas: tempo escolar, espaço escolar, currículo, relação professor – aluno, avaliação, formação de professores.
Modalidades de participação (não há custo para os participantes)
Graduação: Disciplina Optativa – Ciclos na Educação Escolar – 30h/2créditos
                        Código HDI0167
                        Vagas: 15
Pós-Graduação:      Disciplina Optativa para o mestrado e doutorado
                                   - A organização escolar em ciclos - 30h/2 créditos
                                   Vagas: 5
 Professoras/es Gestora/es da educação pública e interessados na temática:
                                   Curso de Extensão – A organização escolar em ciclos
                                   30h
                                    Vagas: 15  vagas  (Certificado pelo Gepac/Unirio)

Professora responsável: Profa. Dra. Andréa Rosana Fetzner
Contato: pesquisagepac@gmail.com ; Telefone: 2542-8399 (15h às 17h), a partir de 04 de janeiro de 2016.
Período: 16 a 27 de fevereiro de 2016 (segunda a sexta-feira)
Horário: das 18h às 21h, sala de aula do Mestrado em Educação, CCH/Unirio.
            Av. Pasteur, 458, Urca, Rio de Janeiro – RJ.
Link para inscrição:
https://docs.google.com/forms/d/1H3lgpUaZaJxJy4fHbkZrQJgGIyUQRmBKcGkVF1e70qU/viewform

domingo, 13 de dezembro de 2015

Desafios da avaliação em escolas organizadas em Ciclos

Na última viagem de 2015, em Vassouras, compartilhei algumas questões que, em meu entendimento, precisam ser observadas nas escolas em ciclos:
1. A avaliação precisa estar inserida no processo de aprendizagem, ser um momento a mais deste processo, e não em espaços "apartados" destes processos, voltados à "prestação de contas";
2. Os instrumentos de avaliação utilizados precisam ser variados e contribuírem para entender o processo de aprendizagem;
3. O entendimento do processo de aprendizagem (por parte da/o professora/or) exige a inclusão do estudante como informante deste processo, ou seja, é necessário "ouvi-lo" sobre o que sabe e o que ainda não sabe, bem como sobre os caminhos que toma para entender o conhecimento trabalhado na escola;
4. Entender o que queremos (professoras/es) com o processo educacional ajuda muito para decidir sobre quais instrumentos e registros de avaliação devemos escolher.
No link abaixo, a apresentação realizada.

http://www.slideshare.net/andrearf/fetzner-vassouras-2015desafios-da-avaliao-nas-escolas-em-ciclos

segunda-feira, 30 de novembro de 2015

O currículo da escola organizada em ciclos de formação

Quais seriam os princípios que orientam a organização escolar em ciclos de formação? Agrupar, no ensino fundamental, crianças e adolescentes pela idade e não pelo conhecimento anterior provoca nossas práticas curriculares e avaliativas. Viajei. atendendo ao convite da UNEMAT (Universidade do Estado do Mato Grosso), até o Campus de Juara, no meio do Brasil, para discutir o tema no X Seminário de Educação do Vale do Arinos: Políticas Públicas e suas Diversidades e no III Seminário do Pibid.
Aqui você encontra a apresentação:

Apresentação slides X SEVA O currículo da escola organizada em ciclos

terça-feira, 3 de novembro de 2015

Vamos discutir sobre o Pibid?


Trabalho no Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência - Pibid, desde 2009, no segundo Edital lançado pela Capes. Lembro das dificuldades iniciais de compreender o Edital e de um telefone direto da Capes no qual Tânia, se não me engano, atendia de forma prestativa e, de imediato, sanava todas as dúvidas [foi minha primeira experiência concorrendo a um Edital da Capes, daí minha dúvidas primárias e imensas]. Bons tempos aqueles... Agora não se acessam mais as pessoas diretamente, os telefones vão para uma central que, pelo que percebo pela falta de entendimento das questões, deve ser mantida por estagiários que pouco conhecem os Programas. Mas o desconhecimento dos Programas parece não ser só localizado naqueles que atendem o telefone.
Voltando um pouco, existem dois Programas do Governo Federal com os quais eu trabalhei e que vou defender para sempre: Escola de Gestores e Pibid.
A Escola de Gestores consistia em uma especialização, semi-presencial, oferecida a diretores e vice diretores (depois houve uma ação para coordenadores pedagógicos) de escolas públicas municipais ou estaduais por Universidades Públicas, destinado a orientar o Gestor/a Gestora, a rediscutir ou construir um Projeto Político-Pedagógico para sua escola com a participação da comunidade escolar. Isto implicou, na vida de quem eu conheci fazendo o curso (eu fui professora tutora e depois, vice-coordenadora, na UFRJ e Unirio, respectivamente), que o retorno à Universidade se desse de forma gratuita (o curso era sem taxas ou custos para as/os estudantes), fazendo com que muita gente pudesse experimentar experiências relativamente novas (em suas experiências pessoais/profissionais) 1. estudar em uma Universidade Pública, onde circulam movimentos de pesquisa e extensão; 2. desencadear um processo participativo em sua escola com a orientação da Universidade; 3. produzir uma monografia relatando o processo, o que, em alguns casos, oportunizou o retorno de forma mais permanente à Universidade, para seguir em estudos de pós-graduação em nível de mestrado. Hoje oriento uma tese de doutorado de uma estudante que retomou seu percurso formativo por meio da Escola de Gestores.
Se o conhecimento está sempre sendo produzido, é imprescindível que aqueles que trabalham com educação sejam acolhidos nos espaços dessa produção (por certo não são só as Universidades produzem conhecimentos, mas um dos diferenciais deste espaço é a produção de conhecimento de forma a que os conhecimentos aqui produzidos sejam validados nos espaços acadêmicos, ou seja, espaços de estudos de novos conhecimentos). Na minha avaliação trata-se de um Programa que fez a diferença nas escolas públicas, nas comunidades envolvidas pelas escolas e na vida de diretoras e diretores que colaboram com a construção de um projeto nacional de educação. Evidentemente, todos os problemas que a educação enfrenta hoje (dentro e fora do Brasil) não serão resolvidos por um Curso de Especialização, mas a "métrica" de avaliação precisa contemplar a diferença que as ações provocam na vida das pessoas (neste caso, direções, estudantes e comunidades que discutiram coletivamente o Projeto Político-Pedagógico da escola). Não precisa muita perspicácia para perceber que a vivência de democracia (entendida como o empoderamento de discutir um Projeto para a escola) é uma importante vivência para a democratização da escola (mesmo que a democratização não se resuma a isto), assim como a vivência da Universidade, para o desempenho profissional.
Outro Programa é o Pibid. Nunca trabalhei em um Programa em que os depoimentos dos participantes fossem tão carregados de emoção, de valorização da profissão docente, de boas expectativas em relação à escola. Para mim, só estes pontos: valorização da profissão docente e desenvolvimento de boas expectativas em relação à escola já valem o investimento. Até dois anos atrás sempre orientei estágios docentes. O Pibid é uma proposta diferente porque "amarra" a parceria Universidade e Escola em um compromisso de diálogo, de troca de conhecimentos, de aprendizagem mútua.
Basicamente o Pibid, por meio de bolsas para professores das Escolas públicas, estudantes de licenciatura e professores das Universidades que atuam em cursos de licenciatura, provoca a imersão da formação de professores na escola, em parceria, e fortalece os estudantes em formação e, por consequência-bônus, os cursos de licenciatura. A seguir tem um filme que pode colaborar a entender o que o Pibid faz, espero que ajude ao Ministro da vez perceber que é mais que melhorar o IDEB. E que o IDEB, nas condições dadas, só melhora com safadeza, como aprenderam e relatam tantos estudos sobre os efeitos dos testes de larga escala nas práticas escolares:
O Pibid segundo os bolsistas de iniciação à docência (estudantes em cursos de licenciatura):
https://youtu.be/QxEZEYC9oac

O Pibid tem dois polos: escola e universidade. Somente colocar o estudante de licenciatura na escola não é suficiente para colocar em diálogo os conhecimentos acadêmicos com as práticas docentes. Somente os conhecimentos acadêmicos não dão conta da formação de professores, é preciso que os conhecimentos da prática sejam apropriados, por vezes criticamente. Atualmente os professores da escola publica (bolsistas que recebem os estudantes de licenciatura) participam de atividades na Universidade e a Universidade (professores coordenadores dos projetos) participa de atividades nas escolas públicas. E os estudantes licenciandos, bolsistas do Pibid, participam de atividades na Escola e na Universidade, buscando desenvolver práticas que tenham relevância para a escola e para sua formação.
Como tudo agora (as leis, os direitos, as ações que estão funcionando) parecem precisar que, cotidianamente, sejam disputadas, precisamos assegurar que o Pibid não retroceda, ou seja, que a integração Universidade e Escola na formação de professores seja mantida com os recursos financeiros que estão envolvidos nisto: bolsas e custeio (dinheiro para compra de material para o Programa, participação em congressos).
Convidamos que as pessoas que conheçam o Programa colaborem com mais esta mobilização, assinando o abaixo assinado no link a seguir:

http://www.peticaopublica.com.br/pview.aspx?pi=BR86210

Há também esta petição em circulação, recomendamos assinatura:

https://www.change.org/p/deputado-ricardo-barros-somostodospibid

sexta-feira, 16 de outubro de 2015

X Seminário de Educação do Vale do Arinos: Políticas Públicas Educacionais e suas Diversidades & III Seminário PIBID





Programação:


30/11/2015 – Segunda-Feira


16h às 19h – Credenciamento

19h às 19h30min – Apresentação Cultural

19h30min às 21h - Cerimonial de Abertura do SEVA

21h às 22h30min - Palestra: Políticas Públicas Educacionais: o currículo da escola organizada por ciclos de formação humana 
Palestrante: Profa. Dra. Andréa Rosana Fetzner – UFRJ/UNIRIO
Mediadora: Profa. Ma. Edilamar da Silva Brandini – CEFAPRO

22h30min às 23h – Debate e encerramento


01/12/2015 – Terça-Feira


Período Matutino

7h30min às 8h – Apresentação cultural

8h às 11h – Mesa: O Ministério da Educação, as Instituições de Ensino Superior, as Secretarias Estaduais de Educação e as Políticas Públicas Educacionais e suas  Diversidades
Interlocutora 1: Profa. Ma. Maria Aparecida Ramires Zulian – Pesquisadora do Centro de Tecnologia da Informação Renato Archer –CTI/Campinas-SP
Interlocutora 2: Profa. Dra. Sumaya Persona de Carvalho – UFMT/Cuiabá
Interlocutor 3: Prof. Dr. José de Souza Neto – UNEMAT/Sinop
Mediadora: Profa. Esp. Rosalina Ananias Pinheiro Neves – CEFAPRO

Período Vespertino

13h às 17h - Minicursos

Período Noturno

19h às 19h30min: Apresentação Cultural

19h30min às 20h - Lançamento e divulgação de Livros e Revistas

20h às 21h: Palestra: Políticas Públicas Educacionais no Ensino Superior
Palestrante: Profa. Dra. Rinalda Bezerra Carlos - PROEG/UNEMAT/Cáceres
Mediador: Prof. Dr. Jairo Luis Fleck Falcão - UNEMAT
21h às 23h: Mesa 2: Políticas Públicas no Contexto do Ensino Superior e suas diversidades
Interlocutor 1: Prof. Dr. Paulo Vieira dos Santos – UNEMAT/Cáceres       
Interlocutor 2: Profa. Dra. Nilce Maria da Silva- UNEMAT/Cáceres
Mediadora: Profa. Ma. Cleuza Regina Balan Taborda -UNEMAT



02/12/15 – Quarta-Feira


Período Matutino

7h30min às 8h – Apresentação Cultural

8h às 10h – Mesa: A implantação e a implementação das políticas educacionais para a Educação Básica e suas diversidades
Interlocutora 1: Profa. Dra. Ângela Rita C. de Mello – UNEMAT/Juara      
Interlocutora 2: Profa. Ma. Lori Hack de Jesus – UNEMAT/Juara
Interlocutora 3: Profa. Dra. Débora Erileia Pedrotti Mansilla – UFMT/Cuiabá
Mediadora: Profa. Ma. Cleide aparecida Ferreira da Silva Gusmão - UNEMAT

10h às 11h: Palestra: Educação e Diversidade: a discussão de gênero em debate
Palestrante: Profa. Ma. Elizabeth Ângela dos Santos – UNEMAT/Juara
Mediadora: Profa. Ma. Ronélia do Nascimento - UNEMAT

Período vespertino

13h às 13h30min: Apresentação Cultural

13h30min  às 15h30min: Mesa: As experiências vivenciadas no interior das salas de aulas com o PNAIC e com o PNEM
Interlocutora 1: Profa. Dra. Glades Denise Wielewski – UFMT/Cuiabá      
Interlocutora 2: Profa. Ma. Rosalia de Aguiar Araújo - UNEMAT/Juara
Interlocutora 3: Profa. Ma. Vanuzia dos Santos Araújo – UFMT/Rondonópolis
Mediadora: Profa. Ma. Elaine Cristina da Silva Moreira – E.E Educação Básica

15h30min às 17h30min: Sessão de exposição de pôsteres

Período Noturno

19h às 19h30h: Apresentação Cultural

20h às 21h: Palestra: Políticas Públicas Educacionais para a Educação Inclusiva e Tecnologia Assistiva
Interlocutora: Profa. Ma. Maria Aparecida Ramires Zulian – Pesquisadora do Centro de Tecnologia da Informação Renato Archer – CTI/Campinas-SP
Mediadora: Profa. Ma. Rosalia de Aguiar Araújo - UNEMAT

21h às 22h30min: Mesa 5: Políticas Públicas Educacionais para a Educação Indígena, Educação do Campo e Educação de Jovens e Adultos
Interlocutora 1: Profa. Dra. Waldinéia Alcântara Antunes Ferreira – UNEMAT/Juara
Interlocutor 2: Prof. Dr. Leonir Amantino Boff – UNEMAT/Cáceres
Interlocutor 3: Prof. Dr. Josivaldo Constantino dos Santos – UNEMAT/Sinop
Mediador: Profa. Dra. Lisanil da Conceição Patrocínio Pereira

22h30min às 23h – Abertura para debate e encerramento



03/12/15 - Quinta-Feira


Período Matutino

7h às 11h – Sessão de Comunicação Oral

Período Vespertino

13h30min às 14h – Apresentação Cultural

14h às 17h – Mesa: Experiências Pedagógicas do Subprojeto PIBID/Pedagogia Juara
Mediadora da Mesa: Profa. Ma. Cleuza Regina Balan Taborda

Período Noturno

19h às 19h30min: Apresentação Cultural

19h30min às 22h: Mesa: Educação Pública e de Qualidade: o PIBID no Cenário Mato-grossense
Interlocutora 1: Profa. Ma. Renata Cristina de Lacerda Cintra – UNEMAT/Cáceres
Interlocutor 2: Prof. Me. Marcos Vinícius Ferreira Vilela – IFMT/Cuiabá
Interlocutora 3: Profa. Dra. Luzia Aparecida Palaro – UFMT/Cuiabá
Mediadora: Profa. Dra. Albina Pereira de Pinho Silva – UNEMAT

22h30min às 23h – Encerramento


Link: http://siec.unemat.br/eventos/10seva/?page=programacao 


segunda-feira, 28 de setembro de 2015

Goiânia em 24 de setembro de 2015: Princípios que orientam a organização escolar em ciclos de formação e desenvolvimento humano

Viajar é aprender, trocar, crescer. Foi a quarta vez que estive em Goiânia, e cada vez gosto mais, reproduzo aqui uma, das tantas perguntas encaminhadas à mesa, representativas de um povo que sabe que a escola é e precisa ser significativa para aquelas e aqueles que dela participam (estudantes e profissionais). O professor autor, que conheci ao final da fala, peço desculpas por alguma alteração de forma, que busca deixar mais fácil a compreensão para quem não esteve na nossa conversa:
Lembrando a música "Tempos Modernos" do Lulu Santos, precisamos:
- de pessoas que digam mais sim do que não;
- de governos que digam sim para a escola pública como prioridade;
- de educadoras e educadores que digam sim para a educação pública de qualidade social;
- de companheiras e companheiros que digam sim para ideologias que nos ajudem a "ver por cima do muro" das escolas;
- que digamos sim para a necessidade de sempre (e uma vez mais) refletir nossas práticas e reconhecer que sempre somos aprendizes e que o outro é parceiro nesse processo!
Obrigada professor!





terça-feira, 22 de setembro de 2015

Salas para disciplina Didática para as Licenciaturas, após a normalização do semestre 2015-2

Quinta-feira, das 8h às 12h - Sala do Mestrado em Educação (térreo do CCH) e, se ocupada, LAMED (4o. andar do CCH)

Quinta-feira, das 18h às 22h - Sala 411 da Nutrição (atualizado em 28-09-2015)



domingo, 13 de setembro de 2015

Os ciclos são, ainda, uma proposta transformadora?

Em 2001, fruto dos meus estudos de mestrado, publiquei o livro Ciclos de Formação: uma proposta transformadora. Assinado como Andréa Krug, publicado pela Editora Mediação. A publicação teve reedições em 2002 (2a. Ed.) e 2003 (3a. Ed.). Recentemente (2015) fui questionada quanto à associação da ideia da organização escolar em ciclos a uma proposta educacional transformadora.
Uma reposta simples seria: na medida em que os ciclos propõem organizações curriculares, avaliativas e didáticas (do trabalho pedagógico do professor) diferenciadas da escola de nossa tradição, tão bem resumidas por Freire na imagem da "educação bancária", afirmariam-se, os ciclos, ainda como uma proposta transformadora desta escola.
Todavia, uma resposta mais elaborada para a questão está sendo desenvolvida, e deverá ser publicada sob a forma de livro, provavelmente em 2016, reunindo um conjunto de estudos desenvolvidos no período 2004 (finalização do doutorado) e 2005-2015, apoiados pela CAPES (bolsa doutorado sanduíche país e bolsa pro-doc Capes), pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro - FAPERJ (Auxílio Instalação, APQ1 e Auxílio Jovem Cientista do Nosso Estado), pelo Centro de Educação à Distância do Estado do Rio de Janeiro - CECIERJ (Bolsa de pesquisa e suporte, via Plataforma Moodle, ao Gabinete de Pesquisa em Desenvolvimento Curricular - GPDC) e da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (Bolsas à pesquisadores em Iniciação Científica e Mestrado REUNI) permitiram, no período 2008 a 2015, manter a pesquisa, aprofundando conhecimentos e coletando dados sobre a organização em ciclos em municípios do estado do Rio de Janeiro.
Em breve, mais notícias.
   

quarta-feira, 12 de agosto de 2015

Encontro com estudantes matriculados em Didática (Licenciaturas e Pedagogia) turmas da manhã e noite em 5as. feiras

Estudantes!
Nosso encontro amanhã, 13-08-2015, às 8h para turma da manhã e às 18h para turma da noite é imprescindível para encaminharmos demandas do semestre. Ele ocorrerá na sala de aula do mestrado em educação, térreo, CCH.
Até lá!

terça-feira, 4 de agosto de 2015

Aulas de Didática - profa. Andréa Fetzner em 2015.2

As aulas de Didática das turmas 2015.2 pela manhã e noite de quintas (Licenciaturas) começarão no dia 13 de Agosto de 2015.
8h às 12h da manhã - mestrado em educação, térreo, CCH.
18h às 22h da noite - mestrado em educação, térreo, CCH.
Não percam a primeira aula, onde estruturaremos juntos o Semestre.

domingo, 2 de agosto de 2015

Leituras de domingo...

Quem disse Berenice?
[...] não deixou restar vínculo algum entre um homem e outro além do interesse pessoal estéril, além do "pagamento em dinheiro" insensível. [...] Converteu o mérito pessoal em valor de troca. [...] implantou essa liberdade única, inescrupulosa - Mercado Livre. Em uma palavra, substituiu a exploração velada - por ilusões religiosas e políticas - pela exploração aberta, imprudente, direta e brutal.
[...] Converteu o médico, o advogado, o padre, o poeta, o cientista em seus operários assalariados.
[...] reduziu a relação familiar a uma mera relação de dinheiro.
[...] Todas as indústrias nacionais estabelecidas há muito tempo foram ou estão sendo destruídas diariamente. Elas são desalojadas por novas indústrias, cuja introdução torna-se questão de vida e morte para todas as nações civilizadas; [...] indústrias cujos produtos são consumidos não só no lar, mas em todos os cantos do globo. Em lugar das antigas vontades, satisfeitas pela produção do país, encontramos novas vontades, exigindo para satisfazê-las produtos de terras e climas distantes. No lugar da antiga reclusão e auto-suficiência local e nacional, temos conexões em todas as direções, uma interdependência universal das nações. E tanto em produção material como também em produção intelectual.
Marx e Engels. O Manifesto Comunista. [Referindo-se à burguesia.]
Que, por óbvia necessidade, termina assim:
Trabalhadores de todos os países, Uni-vos! 
Como disse Mauro Iasi (campanha para Presidência da República, 2014): Eles são poucos, nós somos muitos.
Filmes que acompanham o clima:
O Corte (Costa-Gravas)
Amor sem Escalas (Jason Reitman)
O Jardineiro Fiel (Fernando Meirelles)
Roger e Eu (Michael Moore)
Samba (Oliver Nakache, Éric Toledano)
Para entender o Manifesto Comunista em conceitos atuais, um excelente texto do Blog do Tarso (Paraná), explica o "ajuste fiscal"
http://blogdotarso.com/2015/08/03/o-ajuste-fiscal-e-a-paz-de-espirito-dos-tubaroes/

sexta-feira, 31 de julho de 2015

Alunos concluintes de Ensino Médio

O projeto "Avião de Papel" é voltado para alunos da rede pública que estão saindo do Ensino Médio, visando orientá-los e prepará-los para os desafios da vida adulta e profissional. Serão 5 encontros presenciais gratuitos na cidade do Rio de Janeiro, aos sábados, entre agosto e outubro, sem custos para os participantes.
Formulário de inscrição: http://goo.gl/forms/Z1ZGGZgJbU
Para saber mais sobre o projeto, acessem: www.benfeitoria.com/aviaodepapel
Confiram também nossa página no facebook: facebook.com/vemproaviao
Uma das organizadoras é a professora Renata Vittoretti, professora tutora do Curso de Pedagogia na modalidade a distância/Unirio.

terça-feira, 28 de julho de 2015

Seleção mestrado e doutorado PPPGEDU Unirio - Profa. Andréa Rosana Fetzner

Nos Editais de Mestrado e Doutorado 2015 oferecerei três vagas:
Uma para o Mestrado
Duas para o Doutorado
Os projetos constituem a primeira fase do Edital e somente selecionarei pesquisas que se proponham a investigar a organização escolar em ciclos, podendo assim contribuir com minha pesquisa atual:

GABINETE DE PESQUISA EM DESENVOLVIMENTO CURRICULAR: estudo de 
propostas curriculares em ciclos
Estudam-se propostas curriculares de redes de ensino que tenham organizado em ciclos o ensino fundamental, considerando que os períodos letivos sem reprovação escolar pressupõem perspectivas curriculares não fragmentadas em séries e não baseadas em pré-requisitos. A pesquisa propõe, baseando-se nos estudos sobre a democratização da educação e a interculturalidade, fazer uma análise da integração curricular nessas redes municipais de ensino. Com o estudo pretende-se (1) compreender como se dá a integração curricular nas propostas curriculares; (2) compreender como se dá a integração curricular nos planejamentos escolares entre os ciclos; (3) analisar as possíveis conciliações e articulações entre as diferentes culturas e conhecimentos escolares, que possibilitem o diálogo intercultural por meio das atividades propostas nas escolas. Priorizam-se estudos qualitativos de perspectiva crítica-hermenêutica que preveem a análise (1) de documentos e propostas de secretarias de educação e da legislação, que incidam sobre as políticas e práticas de organização curricular e (2) de planejamentos desenvolvidos pelas professoras e professores das redes de ensino que busquem a articulação entre conhecimentos da experiência dos estudantes e conhecimentos a serem aprofundados na escola. 

O edital deverá ser publicado na primeira quinzena da Agosto.
Boa sorte aos pretendentes!

terça-feira, 21 de julho de 2015

sexta-feira, 17 de julho de 2015

E por falar em Golpistas...

Penso que nem precisa a lista das improbidades deste Deputado para apoiar o movimento!
É hoje, sexta-feira, 17-07-2015, dia de gritar "Fora Eduardo Cunha!

quarta-feira, 15 de julho de 2015

Entre congressos, cinemas e golpistas

Passados os congressos cariocas, enfiei-me num cinema: "Samba", drama que desfila na tela ambiguidades do mundo tal qual está sendo: o desespero por um emprego por alguns, o trabalho extenuante dos empregados. Excelentes atores, argumento realista, roteiro dramático, mas com tiradas engraçadíssimas e cotidianas. Mesma direção do famoso "Intocáveis", o filme mostra o romance entre uma surtada (Charlotte) e um imigrante senegalês irregular em Paris (Omar). Sensacional interpretação do casal coadjuvante (Izia e Tahar). O emprego, o trabalho, a exploração, o capitalismo transformando pessoas em coisas à disposição nas esquinas, o desespero por "ser escolhido", as pressões por dinheiro, o descaso com o humano e a humanidade que insiste em sobreviver, amar, rir, dançar (e como dança bem Tahar e Charlotte) e "ir levando", tal qual a gente do lado de cá da tela. Muito bom filme!
Direção: Eric Toledano, Olivier Nakache
Roteiro: Eric Toledano, Olivier Nakache
Elenco: Charlotte Gainsbourg, Omar Sy, Izïa Higelin e Tahar Rahim
Produção: Laurent Zeitoun, Nicolas Duval-Adassovsky, Yann Zenou
E por falar no lado de cá da tela, o golpe (anunciado neste blog logo após as eleições presidenciais no Brasil) parece se aproximar, os lobos estão à porta, fossem razoavelmente menos lacaios e mais palatáveis, já estariam dentro da casa. Odiosos, ressentidos, se postam com a empáfia fedorenta dos que nunca serviram para além de seus próprios umbigos.  Corja cínica que transforma a política partidária numa herança de boa vida à própria família. Entreguistas. Assassinos da esperança.

segunda-feira, 29 de junho de 2015

IV Colóquio Internacional Educação, Cidadania e Exclusão - CEDUCE


Começa hoje na UERJ Maracanã! Estaremos participando com diversas atividades! O momento político exige: compareça, discuta, troque experiências que possam contribuir com uma sociedade mais justa!
Além das atividades do Gepac, hoje a noite a mesa sobre Pátria Educadora contará com a participação do Prof. Jose Clovis de Azevedo, na sessão encomendada 2, Auditório 111, às 19h, 11o. andar.

PROGRAMAÇÃO DO GEPAC NO CEDUCE

REPROVAÇÃO ESCOLAR EM ESCOLAS EM CICLOS: O PENSAMENTO QUE GUIA A PRÁTICA DOCENTE
GT : Ensino Fundamental: práticas e teorias na escola
Modalidade : Comunicação Oral (CO) / Oral Papers Submission
Autor : ANDRESSA FARIAS VIDAL
Coautores : ANDRÉA ROSANA FETZNER
Dia Apresentação : 30/06/2015
Inicio das Apresentações : 08:00:00
Sala : SALA 10
Localização : 12º ANDAR UERJ - MARACANÃ

EDUCAÇÃO E INFÂNCIA - REFLEXÕES SOBRE A SOCIALIZAÇÃO DE BEBÊS NA EDUCAÇÃO INFANTIL
GT : Educação e Infância
Modalidade : Comunicação Oral (CO) / Oral Papers Submission
Autor : ANDRESSA FARIAS VIDAL
Coautores : ---
Dia Apresentação : 30/06/2015
Inicio das Apresentações : 08:00:00
Sala : SALA 12
Localização : 12º ANDAR UERJ - MARACANÃ

A CULTURA DO EXAME COMO INDICADOR DE QUALIDADE DA ESCOLA E OS SENTIDOS DE QUALIDADE OBSERVADOS NA ESCOLA
GT : Instituições, processos educativos e políticas públicas
Modalidade : Comunicação Oral (CO) / Oral Papers Submission
Autor : CLAUDIA DE SOUZA LINO
Coautores :
Dia Apresentação : 30/06/2015
Inicio das Apresentações : 13:00:00
Sala : SALA 10
Localização : 12º ANDAR UERJ - MARACANÃ

ANA, PNAIC E CICLO DE ALFABETIZAÇÃO: APONTAMENTOS DE UMA PESQUISA EM CONSTRUÇÃO
GT : Instituições, processos educativos e políticas públicas
Modalidade : Pôster (PO) / Poster Submission
Autor : CLAUDIA DE SOUZA LINO
Coautores :
Dia Apresentação : 29/06/2015
Inicio das Apresentações : 10:30:00
Sala : SALA 09

Localização : 12º ANDAR UERJ - MARACANÃ

quarta-feira, 10 de junho de 2015

Diga-me com quem andas...

SBPC, 2015, Universidade de São Carlos