segunda-feira, 15 de maio de 2017

Seminários de Práticas Educativas 4 - Encontros Presenciais de Integração

Promovemos, semestralmente, na UNIRIO, um encontro presencial entre estudantes da educação a distância e dos componentes curriculares de Didática e Didática: questões contemporâneas. Este semestre, este encontro acontecerá no sábado, dia 20 de maio, das 9h às 16h.

PROGRAMAÇÃO
9h – Abertura
9h30 – Mesa Redonda – “A organização escolar em ciclos”
Profa. Andréa Rosana Fetzner/Escola de Educação/Unirio
Profa. Mestre Andressa Farias Vidal/SME Niterói e PPGEdu/Unirio
Profa. Mestranda Nathália Corrêa da Silva  PPGEdu/Unirio
12h – Almoço
13h30min – Grupos de trabalho
15h15min – Plenária final no auditório
16h – Encerramento do encontro


Local: Auditório Vera Janacopulos, UNIRIO. Av. Pasteur, 296, Urca, Rio de Janeiro.

domingo, 14 de maio de 2017

Para quem está sem inscrição na Semana de Educação da UNIRIO - aviso importante

Como organizadoras da Atividade "Uma escola outra ainda é possível? Desafios em tempos sombrios" (veja divulgação abaixo), fomos comunicadas que participantes sem inscrição prévia poderão fazer sua inscrição no momento das atividades.
Neste sítio VII Semana de Educação Unirio 2017   você pode consultar toda a programação e saber quais atividades ainda não tem todas as vagas preenchidas.
Boa semana para todxs nós, o tema promete.

Andréa Rosana Fetzner
Andressa Farias Vidal
Organizadoras do Simpósio "Uma Escola outra ainda é possível?
Desafios em tempos sombrios"


Debatedorxs:

Práticas democráticas: o que consistem nas escolas e na formação de professores? Quais enfrentamentos com o neoliberalismo?

Ana Carolina Cabral, Regina  
Ana Valéria Pereira
Vera Regina Santos

Alfabetização e ciclos: quais os desafios?
Claudia Lino
Ester Assumpção
Glaucio Honório



Avaliações Externas e ciclos: quais incongruências?
Henrique Dias
Nathália Corrêa da Silva

Sexta-feira, 19 de maio de 2017, das 14h às 17h
Sala 211 do CCH, UNIRIO, Urca, Rio de Janeiro


segunda-feira, 8 de maio de 2017

Simpósio "Uma outra escola ainda é possível? Desafios em tempos sombrios" em 19 de maio de 2017, 14h sala 211, CCH, Unirio

Evento aberto a professoras e professores da Educação Básica, estudantes de todas as Universidades e gestores de redes de ensino organizadas em ciclos.
Programação VII Semana Educação

A inscrição é gratuita e deve ser realizada pelo site (apesar da data estar 7 de maio, estará liberada até 9 de maio 2017), é possível escolher, se necessário, por parte dos participantes, apenas uma das atividades oferecidas na Semana de Educação). A inscrição assegura sua inclusão como participante e o certificado após o encontro.
Inscrição na VII Semana



II Encontro dos Cursos de Formação de Professores da UNIRIO

Acontece entre 9 e 10 de maio de 2017 o II Encontro dos Cursos de Formação de Professores da UNIRIO. O Encontro é aberto para professoras e professores, estudantes de licenciatura e técnicos da UNIRIO.
A abertura é amanhã, 09-05-2017, 18h,  no auditório Tércio Pacitti (CCET/IBIO).
Mesa:
As Diretrizes Curriculares para Formação de Professores e a Base Nacional Curricular Comum
Convidados: o Profa. Dra. Lígia Machado – UFRRJ o Prof. Dr. Edgar de Brito Lyra Netto – PUC-Rio
Mediador: Prof. Dr. Marcelo Senna Guimarães
O evento continua na quarta, 10/05, tarde e noite.


quinta-feira, 20 de abril de 2017

Desafios extraordinários da democracia - próxima reunião do GEPAC

Quem assistiu o filme Capitalismo, Uma História de Amor, dirigido por Michael Moore (2009) deve lembrar do memorando do City Group, onde os mega acionistas eram alertados sobre o que seria, na opinião dos analistas do Banco, a maior ameaça da época: "uma pessoa = um voto", representada pela ideia de democracia moderna.
As políticas neoliberais (globalizantes) que esmagam os estados nacionais, associadas aos pequenos(*) escândalos de corrupção que passam a ser conhecidos pela população e insuflados pela mídia (tão empresarial e corrupta quanto os corruptores envolvidos nos escândalos) atingem a população comum (aquela que não é a corruptora) abalando a credibilidade da política partidária, assentada na ideia do voto. Será que isto é apenas uma consequência comum de uma casualidade?
"Para que votar?" (pergunta-se o povo instruído pela mídia) já que "os políticos são todos corruptos"... Ou "tanto faz em quem votar, eles chegam lá e não fazem nada pelo povo"; ou ainda "para que pagar impostos, se todo o dinheiro é roubado pelos políticos safados"... E assim a defesa da pauta oligárquica, empresarial (corruptora) e elitista: menos estado, menos imposto, menos votos, menos poder político partidário...passa a ser feita por aqueles que mais precisam do estado, dos impostos e de um sistema político partidário estruturado, lhes possibilitando acesso ao desenvolvimento do pensamento crítico e do poder de classe.
Ora, se "qualquer Partido fosse fazer a mesma coisa quando chegasse no poder", não haveria tanto empenho em conquistar o poder (do estado), mesmo que de forma ilegítima (sem voto e apoio popular) e  inviabilizar governos que se comprometem com pautas em defesa dos direitos sociais e das riquezas nacionais (Grécia, Honduras, Paraguai, Brasil, ...)
Embora possa parecer pouco, frágil ou vulnerável, mesmo a democracia representativa e moderna, baseada na premissa uma pessoa = um voto, se apresenta, para os que tudo tem e a todos controlam, extraordinariamente ameaçadora. Qual a potência dessa ameaça?
Pois nosso grupo de pesquisa, na próxima reunião do GEPAC (05 de maio), vai discutir sobre o Golpe no Brasil e suas consequências para a democracia também na escola.

Indicamos a leitura de dois textos do Livro Por que gritamos Golpe? Para entender o impeachment e a crise política no Brasil, Boitempo, 2016
1. A luta por uma educação emancipadora e de qualidade, de Tamirez Gomes Sampaio
2. Da tragédia à farsa; o golpe de 2016 no Brasil, de Michael Löwy 

(*) "pequenos" porque, embora a imprensa os trate como avultantes, assustadores ("nunca antes na história desse país se roubou tanto"... e coisas do gênero), de fato, a corrupção é pequena se comparada à exploração do trabalho de muitos por poucos detentores dos meios de produção e comunicação, espionagem e poder, que são a base do capitalismo.  Todos os escândalos de corrupção são nada, se comparados com a base que sustenta o próprio sistema, a espoliação, a concentração de renda e poder e a miséria de tantos.

terça-feira, 21 de março de 2017

Encontros ampliados do Grupo de Estudos e Pesquisas em Avaliação e Currículo - GEPAC 2017

Encontros GEPAC – 2017

31-03  transferida para 07-04 (*)
28-04 transferida para 05-05 (**)
26-05
30-06
28-07
25-08
29-09
27-10
24-11
08-12 


(*) Buscando fortalecer as manifestações em defesa das classes populares e das trabalhadoras e trabalhadores, estamos transferindo a reunião de 31 de março para 07 de abril de 2017. Há um esforço muito grande, de todas as forças representativas desses segmentos, para que possamos parar o país e encher as ruas no próximo dia 31 de março.  Nossa próxima reunião ampliada do GEPAC será, portanto, no dia 07 de abril de 2017. Horário das 15h às 17h.
Oxalá tenhamos sorte.
(**) Isso aí pessoal, estamos em um regime de exceção, vivendo conforme dá, enquanto perdemos direitos cotidianamente. Todos à greve geral de 28 de abril de 2017.